• TOXICOLÓGICO PARA RENOVAR A CNH

  • 7 de março de 2016
  • REALIZE SEU EXAME TOXICOLÓGICO PARA RENOVAÇÃO DA CNH NO LABORATÓRIO BERGMANN

    LIGUE E AGENDE SUA COLETA PELOcaminhão

    FONE: 3322-1135

    CONVERSE COM NOSSOS BIOQUÍMICOS E ESCLAREÇA SUAS DÚVIDAS

  • TESTES RÁPIDOS PARA DENGUE – LIGUE 3322-1135

  • 25 de fevereiro de 2016
  • O LABORATÓRIO BERGMANN DISPONIBILIZA A PARTIR DE 25 DE FEVEREIRO OS SEGUINTES EXAMES PARA O DIAGNÓSTICO DA DENGUE:

    TESTE RÁPIDO PARA DETECÇÃO DO VÍRUS DA DENGUE – NS1

    ANTICORPOS IGG CONTRA DENGUE

    ANTICORPOS  IGM CONTRA DENGUEdengue diagnóstico

    RESULTADOS EM 2 HORAS PARA TODOS OS TESTES.

    ENTRE EM CONTATO COM NOSSA EQUIPE PELO FONE 3322-1135

  • Saúde do coração!

  • 8 de fevereiro de 2016
  • coração saúde

     

     

     

     

    Você é desses que sempre adia o assunto saúde e acha que cuidar do coração, por exemplo, é coisa para idosos? Uma notícia para você, camarada: a saúde cardíaca tem que ser cuidada hoje para seguir assim a vida toda. Hoje mesmo. Agora. Comece lendo esse texto e, depois, é sair cumprindo cada item e manter o compromisso com um coração cheio de vitalidade. A consultoria é da cardiologista do Instituto do Coração (InCor) de SP Ludhmila Abrahão Hajjar.

    1 – CONHEÇA SEUS NÚMEROS

    Fazer exames regulares ajuda a saber como, em particular, seu coração funciona. Assim é possível entender como é sua pressão arterial, triglicérides e outros números importantes para conhecer seu coração e, a partir daí, estabelecer uma base. Melhor ainda se isso for feito ali pelos 30 anos.

    2 – ACRESCENTE UNS HERÓIS À SUA DIETA

    Quando for fazer um lanchinho vendo TV ou se quiser levar consigo um belisco, opte por castanhas, por exemplo: elas ajudam a colocar Omega-3 na sua vida, um apoio para prevenir entupimento das artérias. Abacate, salmão e brócolis são outros bons alimentos aliados para adotar.

    3 – VÁ PESCAR!

    Ok, talvez pescaria não seja sua atividade para relaxamento. Pense outra então ? o importante é desconectar dos noticiários, seus e-mails de trabalho, as situações que mais aceleram sua vida. Comece cortando uns 15 minutos de conexão com celular, tablet e TV e vá aumentando até ter uma hora ou duas de desconexão por dia. O estresse aumenta a pressão arterial, o pulso cardíaco e os níveis de hormônios que podem prejudicar o organismo. Mas ele pode ser contido com uma comédia de duas horas ou encontrando um amigo para um café.

    4 – ACHE UM AMIGO DO CORAÇÃO

    A dica de caminhar por 30 minutos ao dia é sempre dada pelos profissionais da saúde. Mas nem todas as pessoas se empolgam tão facilmente. E se você achasse um amigo que também quer cuidar do coração? Fazer exercícios com companhia aumenta as chances de continuar fazendo. Vale procurar bem pertinho, inclusive. De acordo com um recente estudo norte-americano, que avaliou cerca de 15 mil homens e mulheres, apenas o fato de ser casado e ter uma boa rede de amigos pode proteger as pessoas das doenças cardíacas. “Pessoas casadas ou que frequentam clubes ou têm muitos amigos e parentes tem a pressão significativamente mais baixa, além de outros fatores de risco”, diz a pesquisa.

    5 – FECHE A CONTA DO CIGARRO

    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo ano mais de cinco milhões de pessoas morrem no mundo por causa do cigarro. O tabagismo está relacionado a mais de 50 doenças – sendo responsável por 30% das mortes por câncer de boca, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença do coração. Se nem isso for incentivo, pensa assim: quem começa a fumar, digamos, com 18 anos e já está com 30, fumando meio maço ao dia, já gastou com esse hábito ruim cerca de R$ 15.000. Daria para fazer uma viagem de sonho. Mais saudável, mais proveitoso.

    6 – FAÇA UMA PARADINHA E TOME UM DRINQUE

    Outra pesquisa norte-americana, desta vez da escola de saúde pública de Harvard: para as mulheres, até um copo de álcool por dia e, para os homens, até dois copos por dia pode ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca. O álcool pode auxiliar o coração por aumentar os níveis de colesterol HDL. Mas lembre-se: mais não é melhor. “O álcool também tem calorias e, em excesso, pode causar pressão alta, piorar a insuficiência e causar anormalidades do ritmo cardíaco”, registra a pesquisa. Então faça aquele brinde e pare no limite recomendado.

    7 – VÁ DORMIR, PAGUE AS CONTAS NA MANHÃ SEGUINTE

    Pessoas que dormem menos de sete horas por noite têm mais elevações de pressão arterial e níveis mais altos de cortisol, o hormônio do estresse, tornando as artérias mais vulneráveis ao acúmulo de placa bacteriana. Na verdade, pesquisas mais recentes mostram que pessoas que não dormem o suficiente são duas vezes mais prováveis de morrer de doença cardíaca. Tentar evitar cafeína depois do meio dia e desenvolver um ritual de desaceleração antes de dormir são maneiras de ajudar a pegar no sono. Dica? Tome também um banho morno e ignore boletos bancários até a manhã seguinte! Sério mesmo. Você vai dormir menos tenso.

    8 – CHEQUE ESSE NEGÓCIO DE RONCAR

    Às vezes, o ronco parece só uma característica engraçada do indivíduo ou aquele trejeito irritante. Mas ele pode ser mais que isso. O ronco pode ser um sinal de algo mais grave: apneia obstrutiva do sono. Essa desordem, marcada pela respiração que é interrompida durante o sono, pode fazer a pressão arterial disparar, o que aumenta o risco de doença cardíaca. As pessoas que estão com sobrepeso ou obesidade têm maior risco de apneia do sono, mas pessoas magras podem ter também. Se você ronca e muitas vezes acorda sentindo cansaço, hora de ir ao médico e avaliar o motivo dessa “sinfonia”.

    9 – VAMOS PARAR DE SER 8 OU 80?

    Conhece aquele pessoal de 35, 40 anos que sente a idade chegando e mergulha cheio de boas intenções nos exercícios? E aí parte deles exagera, acaba se machucando e em seguida deixa de praticar corrida, musculação ou o esporte aeróbico escolhido como salvação. Com o exercício, é sábio seguir na onda do “lento e firme”. É mais importante ter um compromisso de exercício físico regular a longo prazo do que forçar e parar por meses.

    10 – AMADUREÇA O PALADAR

    Ficar adulto é também abandonar aqueles hábitos bobos de alimentação ? jogando calorias vazias pra todo lado (com alimentos lotados de açúcar, gordura e quase nenhum nutriente). Quem tem esse “paladar infantil” se recusa a seguir os conselhos que a vovó dava sobre comer comida de verdade. Pois é, mas é chegada a hora. Uma dieta pobre aumenta muito o risco de obesidade e diabetes e, por tabela, problemas no coração. Procure alimentos bons pra você, sejam legumes, frutas, grãos integrais, frutos do mar, carnes magras, leite desnatado, ovos e feijão ? e, por favor, pare de colocar sal em tudo! Você não tem mais 10 anos. E isso é bom.
    Fonte: Instituto Hermes Pardini.
  • Cuidados com a pele no verão

  • 18 de janeiro de 2016
  • Modena Motorsport Ferrari Track Days

     

     

     

     

     

    Durante o verão, aumentam as atividades realizadas ao ar livre. A radiação solar incide com mais intensidade sobre a Terra, aumentando o risco de queimaduras, câncer da pele e outros problemas. Por isso, não podemos deixar a fotoproteção de lado. Veja a seguir dicas para aproveitar a estação mais quente do ano sem colocar a saúde em risco.

    Roupas e acessórios

    Além do filtro solar (nosso de todo dia), no verão é importante usar chapéu e roupas de algodão nas atividades ao ar livre, pois  retêm cerca de 90% das radiação UV.  Tecidos sintéticos, como o nylon, retêm apenas 30%. Evite a exposição solar entre 10h e 16h (horário de verão). As barracas usadas na praia devem ser feitas de algodão ou lona, materiais que absorvem 50% da radiação UV.  Outro objeto que tem extrema importância são os óculos de sol, que previnem cataratas e lesões á córnea.

     

    Filtro solar

    O verão é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer.  Os produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) 15 ou 20 podem ser usados no dia a dia; e o FPS 30 ou superior  é ideal para uma exposição mais longa ao sol (praia, piscina, pesca etc.).

    O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD) e contra os raios UVB (indicado pelo FPS). Aplique o produto 30 minutos antes da exposição solar, para que a pele o absorva. Reaplique-o a cada duas horas, mas fique atento, esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água. Aplique o protetor uniformemente em todas as partes de corpo, isso inclui mãos, orelhas, nuca, pés

    Uma dica bacana é que o uso de fluidos siliconados nas pontas dos cabelos impede que eles se danifiquem com o vento, calor ou maresia. Não se esqueça de proteger as cicatrizes. Quando novas podem ficar escuras se não forem protegidas. Se antigas podem desenvolver tumores na pele, apesar de ser um evento raro. Pode ser colocado o filtro na própria cicatriz ou protegê-las com adesivos ou esparadrapos.

    Em crianças, inicia-se o uso do filtro solar a partir dos seis meses de idade, utilizando um protetor adequado para a pele sensível da criança, de preferência os filtros físicos. Você pode pedir orientação a um pediatra ou a um dermatologista sobre qual o melhor tipo para cada caso. É preciso que as crianças e jovens criem o hábito de usar o protetor solar diariamente, pois 75% da radiação acumulada durante toda a vida ocorre na faixa entre 0 e 20 anos.

    Alerta: As pessoas de pele negra têm uma proteção “natural” da pele, pela maior quantidade de melanina produzida, mas não podem esquecer da fotoproteção, pois também estão sujeitas a queimaduras, câncer da pele e outros problemas. Assim como as pessoas de pele mais clara, precisam usar filtro solar, roupas e acessórios apropriados diariamente. Ótimo!

     

    HÁBITOS DIÁRIOS

    As temperaturas mais quentes exigem hidratação redobrada, por dentro e por fora. Aumente a ingestão de líquidos no verão e abuse da água, suco de frutas e da água de coco. Todos os dias, aplique um bom hidratante, que ajuda a manter a quantidade de água na pele entre 10% a 30%.

    Alguns alimentos podem ajudar na prevenção dos danos que o sol causa à pele, como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, pois contêm carotenóides, substância que se deposita na pele e retém as radiações ultravioletas. Esta substância é encontrada nas frutas e legumes de cor alaranjada ou vermelha.

    No verão estamos mais dispostos a comer alimentos saudáveis, carnes grelhadas, alimentos crus e cozidos. Frutas e legumes com alto teor de água e com baixo teor de carboidratos e muitas fibras também são muito comuns nesta época. Aposte nestes alimentos para ajudar na hidratação do corpo, prevenir doenças e os sinais do envelhecimento.

    No banho, use sabonetes compatíveis com o tipo de pele. A temperatura da água deve ser fria ou morna, para evitar o ressecamento.

     

    DOENÇAS DE PELE

    A combinação sol, praia, areia ou piscina mais o excesso de suor elevam o risco de algumas doenças da pele. Saiba mais a seguir.

    Micoses

    As micoses podem se manifestar na pele, no couro cabeludo e nas unhas. Vale lembrar que ninguém está livre delas, crianças, jovens, adultos e idosos. Os pés, a virilha e as unhas são os lugares mais comuns em que elas aparecem, mas isso não significa que outras partes do corpo estejam livres das terríveis micoses. São infecções causadas por fungos que se alimentam da queratina presente nesses locais. Quando encontram condições favoráveis ao seu crescimento, como: calor, umidade, baixa de imunidade ou uso de antibióticos sistêmicos em longo prazo, estes fungos se reproduzem e passam então a causar a doença.

    A melhor forma de evitar as micoses é mantendo hábitos de higiene, como: secar-se após o banho, principalmente áreas de dobras da pele, como virilha, entre os dedos dos pés, axilas. Não andar descalço em pisos constantemente úmidos (lava-pés, vestiários, saunas). Usar somente o seu material de manicure. Evite usar calçados fechados o máximo possível.  Opte pelos mais largos e ventilados.

    Brotoejas

    Aquelas pequenas bolinhas na pele também costumam dar o ar da graça nos dias de calor. Elas surgem principalmente em bebês por conta do contato da pele com o suor nas “dobrinhas” da pele ou das roupas. Elas aparecem quando há entupimento das glândulas sudoríparas. Podem ser bolhas transparentes e podem não coçar quando a obstrução for superficial; ou avermelhadas e coçarem muito quando a obstrução dos canais das glândulas por mais profundo. Usar roupas frescas no calor, evitar locais muito abafados que propiciam a sudorese excessiva, são algumas dicas para evitar brotoejas, principalmente em pessoas predispostas.

    Manchas e sardas brancas

    As manchas e as sardas brancas surgem devagar e quando menos se espera, elas estão lá fixadas na pele como mini-pontinhos. Elas são danos que os raios solares causaram na pele e aparecem como tempo.

    As manchas são conhecidas como manchas senis, ou melanoses solares. Em geral, são manchas escuras, de coloração entre castanho e marrom, geralmente pequenas. Surgem em áreas que ficam muito expostas ao sol, como a face, o dorso das mãos e dos braços, o colo e os ombros.

    As sardas brancas aparecem quando há ação acumulativa da radiação solar sobre áreas de pele expostas ao sol de forma prolongada e repetida ao longo da vida, provocando alterações nos melanócitos.

    A melhor forma de evitá-las é não se esquecendo do protetor solar para que não apareçam novas lesões. As manchas e sardas têm tratamento, feito por um dermatologista especializado. Ele irá avaliar sua pele e as lesões e indicar o melhor tratamento.

    Essas lesões são benignas, não evoluem para o câncer da pele; entretanto, são marcadores de fotoexposição e fotodano. Por esse motivo, o acompanhamento regular desses pacientes com dermatologista, é fundamental para uma perfeita avaliação e acompanhamento.

    Acne solar

    É provocada pela mistura da oleosidade da pele com o uso do filtro solar. Lave o rosto com sabonete ideal para o tipo de pele, use tônicos mais adstringentes e procure usar filtros solares com base aquosa ou em gel, esses produtos deixam a pele mais seca, o que pode diminuir a oleosidade da pele.

    Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia.

  • Calendário de vacinas é alterado pelo Ministério da Saúde

  • 7 de janeiro de 2016
  • vacinaO Calendário Nacional de Vacinação vai mudar. As três doses da vacina contra a paralisia infantil vão ser injetáveis, a partir de agora. Essa é uma das mudanças do calendário de vacinação, anunciadas pelo Ministério da Saúde. A aplicação das vacinas contra meningite, pneumonia e HPV também vão ter alterações.

    No caso da meningite, as primeiras doses continuam do mesmo jeito, aos três e cinco meses, mas o reforço, que antes era dado com um ano e três meses, agora deve ser aplicado antes, com um ano.

    A vacina contra a paralisia infantil também mudou. A terceira dose, que antes era dada com as gotinhas, aos seis meses, passa a ser aplicada com injeção. Agora, as três primeiras doses da vacina são todas injetáveis, aos dois, quatro e seis meses. Depois disso, a gotinha vai continuar sendo usada como reforço e nas campanhas de vacinação.

    Mudança também na vacina contra pneumonia, que passa a ter uma dose a menos. Os bebês devem tomar a primeira dose aos dois meses, a segunda aos quatro meses e um reforço só quando completarem um ano.

    Para as meninas de nove a 14 anos, a vacina contra o HPV, que previne contra o câncer no colo do útero também perdeu uma dose. Antes, eram três, agora serão apenas duas. A segunda dose será aplicada seis meses depois da primeira. Para as adolescentes com mais de 14 anos e para as mulheres adultas, a recomendação continua sendo a de tomar três doses da vacina.

    O Programa Nacional de Imunizações, que inclui todas as vacinas do SUS, tem R$ 3,2 bilhões para este ano. O Ministério da Saúde garante que mesmo com a redução das doses a proteção será a mesma e que a mudança no calendário não tem nada a ver com custos: “Toda vez que o Ministério da Saúde muda o calendário, ele é baseado nas evidências científicas, nos trabalhos que são publicados à luz dessas necessidades de mudança. Não há nenhum objetivo de economia no programa e sim garantir a efetividade das ações de imunização do nosso país”, afirma Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações.

  • Zika Vírus

  • 7 de dezembro de 2015
  • Dra. Danielle Zauli, do setor de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) do Hermes Pardini, fala

    sobre o Zika vírus

     

    zika virus

    O Zika vírus (ZIKV) é um arbovírus da família Flaviviridae transmitido a seres humanos através do mosquito pertencente ao gênero Aedes, incluindo a espécie Aedes aegypyti. A febre Zika (FZ) é uma doença emergente e, algumas apresentações clínicas não específicas podem confundir com muitas outras arboviroses particularmente com infecções pelo vírus da dengue e vírus Chikungunya. Sendo assim, a necessidade de técnicas de diagnóstico sensíveis e específicas é cada vez mais uma realidade.

    O Instituto Hermes Pardini é o primeiro laboratório de apoio a realizar o teste molecular para detecção deste vírus. Este teste é baseado na técnica de PCR em Tempo Real que detecta o material genético do vírus em pacientes com suspeita clínica da infecção, utilizando sondas específicas. O diagnóstico molecular por esta técnica é amplamente utilizado na detecção deste tipo de vírus por ser um método rápido, sensível e específico para o diagnóstico de patógenos.

  • Prevent Code, a genética e o Câncer de Próstata!

  • 16 de novembro de 2015
  • prevent code

    PREVENTCODE PRÓSTATA

    O câncer de próstata é o câncer mais comum entre os homens e principal causa de doença seguida de morte nos Estados Unidos e Europa Ocidental.

    Exames de autopsia em série revelaram a presença de pequenos carcinomas prostáticos em até 29% dos homens entre as idades de 30-40 anos e de 64% entre 60-70 anos de idade.

    De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente entre os homens. Para o ano de 2012, foram estimados 60.180 novos casos de câncer de próstata. Baseando-se em evidencias epidemiológicas, fatores como etnia, idade e histórico familiar demonstraram uma consistente associação com o risco para o desenvolvimento do câncer de próstata.

    Na ultima década, fatores nutricionais (dieta) e estilo de vida também foram reconhecidos como fatores de risco na etiologia da doença. O câncer de próstata pode ser considerado um câncer de bom prognóstico se diagnosticado e tratado oportunamente.

    Até o presente momento, métodos de rastreamento atuais como exame de PSA não proporcionaram uma redução substancial nos índices de mortalidade sugerindo a necessidade da busca contínua por novos marcadores de rastreamento.

    A recente interação entre as área de informática e biologia molecular (bioinformática) permitiu o aparecimento dos Estudos de Associação Genômica Ampla (do inglês genome-wide association studies, GWAS). Os estudos GWAS comparam as frequências alélicas de diversos marcadores polimórficos (SNPs) simultaneamente em indivíduos não relacionados que possuam um determinado sintoma ou patologia em comparação com um grupo controle de indivíduos saudáveis com o objetivo de identificar SNPs associados com doenças complexas. Recentemente, um estudo de GWAS identificou dentre todos os marcadores polimórficos já identificados para doenças complexas, 5 SNPs em cinco regiões cromossômicas distintas significativamente associadas ao risco para o câncer de próstata. Estes marcadores se localizam em 3 regiões independentes no cromossomo 8, proximais a região 8q24, e em 2 regiões independentes no cromossomo 17, uma na região 17q12 e outra na região 17q24.3. VISÃO GENÔMICA GENE CHR SNP ID HNF1B 17 rs4430796 8q24 8 rs16901979 8q24 8 rs6983267 LOC727677 8 rs1447295 17q24.3 17 rs1859962 O PreventCode Próstata é um teste genético rápido desenvolvido pelo Laboratório Progenetica que se baseia em um painel de 5 SNPs cuidadosamente selecionados por apresentarem uma forte correlação estatística com a suscetibilidade ou risco do aparecimento do câncer de próstata. O teste genético PreventCode Próstata faz parte de uma estratégia para a implementação de medidas preventivas tais como periodicidade de realização de exames de rastreamento e intervenção precoce baseando-se nas mais avançadas descobertas científicas relacionadas com o código genético.